Atendimento preferencial: entenda como fazer melhor

3 minutos para ler



Todo hospital precisa se preocupar com o atendimento preferencial, já que penalidades bastante severas podem ser aplicadas se a legislação for ignorada. Felizmente, existem formas muito eficazes de adaptar o seu fluxo de atendimento.

A lei prevê atendimento prioritário para pessoas que se enquadram em determinados critérios. A prioridade máxima está reservada a pacientes com mais de 80 anos, segundo a Lei 10.741/2003. Já na prioridade convencional, estão consideradas pessoas com mais de 65 anos, gestantes e pessoas com crianças de colo.

Para evitar multas e prejudicar os seus pacientes, é necessário que o seu hospital adapte o seu fluxo de atendimento para levar em conta essas prioridades. É o caso de gerenciar a fila tendo esses critérios como base. E a tecnologia pode ajudar muito nisso. Saiba mais!

Gestão de atendimento preferencial

Oferecer um atendimento prioritário em seu consultório médico, que esteja alinhado à legislação, envolve a necessidade de adaptar o seu fluxo de atendimento. Ou seja, é preciso reformular a forma como novos pacientes são colocados em fila para consultas ou exames conforme chegam ao local.

Isso pode ser feito ao dividir as suas filas de atendimento em três. São estas, em ordem de prioridade:
 – prioridade máxima: pacientes com mais de 80 anos;
 – prioridade convencional: pacientes que se enquadram nos critérios da Lei 10.741/2003, mas que têm menos de 80 anos;
 – demais pacientes.

A partir daí, o atendimento deve ser oferecido ao seguir a ordem prioritária das filas. Somente desça até o próximo nível quando o anterior estiver vazio. Dessa forma, os pacientes prioritários sempre serão atendidos no tempo certo e a sua atuação estará alinhada com a determinação da lei.

Uso da tecnologia no atendimento preferencial Seguir a dica da seção anterior é uma ótima forma de garantir um atendimento prioritário para os grupos sociais certos e manter a atuação do seu hospital alinhada à legislação. No entanto, a tecnologia pode ajudar muito nesse processo e garantir o máximo de eficiência ao seu fluxo de forma que todos se beneficiam.

Isso é possível por meio de um software de gestão de senhas que seja capaz de priorizar atendimentos a partir de filas separadas por grupos. O ideal é contar com uma solução adaptada às necessidades e particularidades da legislação brasileira para o setor da saúde.

Por exemplo, o uso de um terminal de autoatendimento possibilita que o próprio paciente se declare como pertencente a um dos grupos prioritários ou não. Assim, é registrado na fila certa e pode aguardar atendimento a partir de uma senha especial para o seu caso. Trata-se de algo muito mais demorado de fazer manualmente.

Oferecer melhorias ao seu hospital/clínica para oferecer atendimento preferencial é algo essencial para o funcionamento. Porém, é importante saber que esse trabalho pode ser feito de uma forma muito mais eficaz. Deixe que a saúde digital proporcione uma revolução à forma de atuação, ao contar com um sistema inteligente que seja capaz de ajudar nessa priorização.

Que tal continuar acompanhando mais dicas inovadoras para a sua gestão de hospitais? Siga os nossos perfis nas redes sociais e confira! Estamos no no Facebook e no Instagram!

Posts relacionados

Deixe uma resposta