Descubra os sintomas do surto de sarampo e fique em alerta!

3 minutos para ler

Mesmo quando uma doença é classificada como erradicada, ela pode ressurgir se abaixarmos a guarda. Essa ideia resume muito bem o surto de sarampo que estamos vivendo no ano de 2019.

O Brasil chegou a comemorar a eliminação completa dessa infecção em 2016, entretanto, três anos depois, ela voltou a ter ocorrências. Já foram registradas três mortes e mais de 10 mil casos por todo o país desde 2018. 

Esse novo surto motivou uma série de campanhas de vacinação contra o sarampo pelo país, já que essa é a principal forma de prevenção. Afinal, foi a alta taxa de vacinação do passado que contribuiu para a erradicação do sarampo no passado.

Por esse motivo, este post apresenta algumas informações sobre essa infecção, como a sua transmissão, prevenção e tratamento. Acompanhe!

Transmissão e sintomas

A transmissão ocorre por meio de um vírus a partir da tosse, espirro, fala ou até mesmo da respiração próxima de alguém. Contudo, os seus sintomas iniciais podem fazer com que a doença seja confundida com outros problemas respiratórios, portanto, é preciso ter muita atenção principalmente em um período de surto.

Conheça, a seguir, quais são os seus principais sintomas:

  • mal-estar;
  • febre;
  • tosse;
  • coriza;
  • olhos irritados;
  • congestão nasal.

Geralmente, após três e cinco dias da manifestação dos sintomas iniciais, é possível notar manchas vermelhas pelo corpo como outro sinal. Ademais, a condição tende a ser mais severa em pessoas com sistema imunológico enfraquecido e nas crianças menores de 5 anos de idade.

Tratamento

Não há um tratamento específico contra o sarampo. Em vez disso, são empregados esforços para aliviar os sintomas e, assim, reverter o quadro imposto no organismo. Se essa decisão não é tomada, há, inclusive, risco de morte.

No geral, os especialistas médicos que tratam essa infecção são o infectologista ou o pediatra. O clínico geral também é capacitado para fazer o diagnóstico e receitar o tratamento focado em aliviar seus sintomas.

É importante ressaltar que essa condição pode levar à morte por conta do comprometimento do sistema imunológico do corpo. Ou seja, parte dos esforços pós-diagnóstico envolvem o fortalecimento dele.

Prevenção

O sarampo é uma doença prevenível por vacinação. Dessa maneira, a principal forma de evitá-la é por meio da tríplice viral, que protege o organismo também contra a rubéola e a caxumba.

Por esse motivo, fique de olho nas recomendações do Ministério da Saúde para a sua região e faixa demográfica, já que as campanhas e os mutirões são realizados com base em grupos de risco em situações de surto como a atual.

Além disso, há uma situação especial no caso de gestantes. Afinal, a vacina é contraindicada nesses casos porque a baixa imunidade pode contribuir para o desenvolvimento da doença.

Tanto em situações de surto de sarampo ou demais epidemias, é essencial ficar de olho no noticiário e nas recomendações do Ministério da Saúde. Por isso, consulte sempre os grupos de risco e siga as orientações para se manter sempre saudável e longe do perigo.

Gostou deste post? Então, ajude mais pessoas a ficarem por dentro do surto de sarampo. Compartilhe o artigo nas suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe uma resposta