Por que o autoexame de mama é importante? Aprenda agora!

4 minutos para ler

O câncer de mama é um dos tipos que mais acomete mulheres em todo mundo. Seu diagnóstico precoce é essencial para o sucesso do tratamento e diminuição da mortalidade provocada pela doença. Pelo fato de grande parte dos tumores nessa região ser descoberto pelas próprias mulheres, realizar o autoexame de mama é imprescindível.

Conhecer o próprio corpo facilita a identificação de sinais que podem indicar algum tipo de problema e tratá-lo o mais rápido possível, assegurando a qualidade de vida da paciente.

Por isso, preparamos este post para mostrar a importância do autoexame e formas de fazê-lo adequadamente. Confira!

O que é o autoexame de mama e qual a sua importância?

O autoexame de mama pode ser realizado uma vez por mês, entre três e dez dias depois do surgimento da menstruação, ou em um dia fixo para mulheres que não menstruam. Apesar de não fazer o diagnóstico do câncer, contribui para o melhor conhecimento do corpo, possibilitando a identificação de eventuais alterações que possam aparecer nos seios.

O ideal é que todas as mulheres após os 20 anos, que tenha histórico de câncer na família, ou acima de 40 anos, sem caso de câncer na família, realizem essa prática para aumentar as chances de identificar o câncer de mama precocemente e iniciar o tratamento.

É importante deixar claro que isso também pode ser realizado por homens. Apesar de ser mais raro, pessoas do sexo masculino podem sofrer com esse tipo de câncer, apresentando os mesmos sintomas.

Como fazer o autoexame de mama?

O autoexame pode ser realizado de várias formas: em frente ao espelho, em pé ou deitada. Para isso, você pode seguir algumas recomendações. Por exemplo, para analisar em frente ao espelho, basta:

  • ficar em frente ao espelho;
  • avaliar os dois seios com os braços abaixados;
  • posicionar as mãos na cintura fazendo força;
  • por as mãos atrás da cabeça e averiguar o tamanho, forma e posição do mamilo;
  • apertar devagar o mamilo e observar se existe saída de secreção.

Caso você prefira fazer de pé:

  • levante seu braço esquerdo e coloque acima da cabeça;
  • com a mão direita esticada, examine a mama esquerda;
  • separe os seios em partes e avalie lentamente cada um dessas partes. Utilize a polpas dos dedos e não as pontas ou unhas;
  • sinta os seio por completo;
  • realize movimentos circulares, de cima para baixo;
  • faça o mesmo procedimento na outra mama.

Além disso, é possível fazer deitada. Nesse caso, o ideal é que você: 

  • insira um pano dobrado abaixo do ombro direito para avaliar a mama direita;
  • toque o seio com movimentos circulares, realizando uma pressão leve;
  • apalpe a metade externa da mama;
  • verifique as axilas;
  • realize o mesmo processo na mama esquerda.

Quais são os sinais de alerta?    

Entre os principais sinais de alerta que podem ser encontrados durante o autoexame estão:

  • presença de nódulos endurecidos ou fixos, seja nas mamas ou axilas;
  • alterações na textura ou tamanho;
  • vermelhidão;
  • retrações da pele;
  • descamação da pele da aréola/mamilo;
  • secreções.

Caso identifique a presença de alguns desses sinais, procure um médico ginecologista. Ele fará o exame clínico adequado e poderá solicitar alguns exames. É importante ter em mente que o autoexame de mama não substitui o exame médico, então fazer check-ups periódicos e ter um acompanhamento profissional é uma das melhores formas de prevenção contra câncer desse tipo.

Conseguiu esclarecer as suas dúvidas em relação ao autoexame de mama? Deixe seu comentário aqui e compartilhe com a gente sua experiência e opinião sobre o assunto!

Posts relacionados

Deixe uma resposta